Árvore Genealógica

Falar da árvore genealógica em que o Templo de Orixá – Ifá Aje se insere demanda retomar uma história que começa na Nigéria, com o povo Egbá, da etnia Iorubá.

“sou um ser para quem correntes não servem; sou, afinal, um ser humano”.

(Wole Soyinka, descendente Egbá e primeiro africano e o primeiro negro a receber o Nobel de Literatura)

Povo Egbá – os mais antigos guerreiros da liberdade

Em um período de guerras e conflitos, após conquistar sua liberdade, o povo Egbá, sob as orientações de Orunmilá-Ifá, buscou lugar seguro para viver em liberdade. Assim chegou ao monte Olumo, que segundo alguns historiadores, quer dizer “Construído pelo Senhor”. Outros afirmam que o significado é “Deus colocou um ponto final na hostilidade contra os Egbás e seu sofrimento”. O imponente monte Olumo se tornou o pilar do povo Egbá e símbolo de sua resistência.

Os Egbás são os fundadores da cidade de Abeokuta, cujo nome quer dizer “refúgio entre as rochas” ou “pessoas debaixo da pedra”, localizada no estado de Ogum, Nigéria. Descendem diretamente de Orafiyan, filho e sucessor direto de Oduduwa, patriarca mítico do povo Iorubá.

O povo Egbá carrega uma história de luta pela liberdade, força e sabedoria e tem contribuído significativamente nas mais diversas áreas para o progresso da Nigéria e do mundo.

Da África ao Brasil

Na década de 1980, o Bàbálórìsà Adesiná Síkírù Sàlámì, o Babá King, chega ao Brasil para estudar e empreende o resgate da filosofia vivida pelo povo Egbá – os iorubás. Surpreso com o amor dos brasileiros aos orixás, Babá King decide adotar este País como sua nação e implementar aqui o Culto Tradicional Iorubá. Para isso, o Bàbáláwo Fábùnmi Sówùnmí (in memorian); e a Ìyálórìsà Obimonure Asabi Diyaolu (in memorian) vêm ao Brasil para iniciar aqui o culto de Ifá. Assim nasce o Templo de Orixá Oduduwa, casa matriz da qual o Templo Ifá Aje descende.

 

Disseminação do Culto Tradicional Iorubá no Brasil

A partir da fundação do Templo de Orixá Oduduwa, inicia-se a disseminação do Culto Tradicional Iorubá pelas mãos do Babá King, junto com seus mestres, os sacerdotes:

  • Bàbáláwo Awodiran Sówùnmí;
  • Ìyálórìsà Mojisola Abebi Akibo (Ìyálóde);
  • Ìyálórìsà Ayijutu Popoole (Iyasola);
  • Bàbálórìsà Morefu Ajani Ifadimu.

Desde então, milhares de pessoas de todo o mundo vêm ao Brasil para fazer suas iniciações e ritualísticas. Nesse processo, novos Templos vão sendo criados, filiados ao Oduduwa, em todo o mundo – e também no Brasil.

 

A fundação do Templo de Orixá Ifá Aje

No início dos anos 2000, o sacerdote Babalorixá Ricaule Aquino vinculou-se ao Oduduwa e decidiu trazer para Brasília-DF o Culto de Ifá. Para isso, fundou o Templo de Orixá – Ifá Aje, em Sobradinho-DF, como um descendente do Oduduwa. Desde então,  tornou-se uma referência do Culto de Ifá na região.